A CIDADE DE SÃO TOMÉ NO QUADRO DAS CIDADES INSULARES ATLÂNTICAS DE ORIGEM PORTUGUESA

Teresa Madeira da Silva

ISCTE-IUL
DINÂMIA-CET
teresa.madeira@iscte.pt

Esta comunicação trata da evolução do traçado urbano da cidade de São Tomé desde a sua génese no século XV, até meados do século XVII, através da abordagem comparativa das morfologias urbanas de quatro cidades insulares atlânticas de origem portuguesa: Funchal (no arquipélago da Madeira), Angra do Heroísmo (no arquipélago dos Açores), Ribeira Grande (no arquipélago de Cabo Verde) e São Tomé (no arquipélago de São Tomé e Príncipe).

A escolha destas cidades, dentro do contexto insular atlântico, deveu-se aos factores que lhes conferem uma maior importância em termos urbanísticos: além de outros, a localização, a dimensão, o papel que desempenharam, e as transformações que se operaram desde o período das primeiras ocupações até aos nossos dias, deram a estas cidades uma importância e um significado que, tanto em termos históricos como, em termos urbanísticos têm sido motivo de reflexão e análise para a compreensão do urbanismo português. A reflexão sobre o estudo morfológico dos núcleos urbanos atrás referidos pressupõe como hipótese de partida a ideia que é possível encontrar uma especificidade nas fundações urbanas portuguesas espalhadas pelo mundo. Neste sentido, esta comunicação centra-se na possibilidade de enunciar um conjunto de características comuns às quatro cidades e incluir a cidade de São Tomé no quadro das formas urbanas típicas estabelecidas para as cidades insulares atlânticas de origem portuguesa.

Pretende-se fazer uma reflexão acerca das características da morfologia urbana de cada uma dessas cidades desde a sua génese até ao final do século XVII de forma a fazer uma análise comparativa das mesmas e daí retirar um conjunto de características comuns acerca da forma e da evolução do traçado urbano. Assim, a análise das cidades em estudo centra-se essencialmente em diferentes aspectos tais como: a escolha da localização dos primeiros assentamentos, a evolução do traçado urbano e os elementos essenciais da morfologia do tecido urbano (estrutura de quarteirões, ruas e largos, implantação de edifícios de grande significado e pontos defensivos). Em termos gerais, para o estudo da evolução do traçado urbano das quatro cidades estabelecemos três fases de desenvolvimento: a primeira, inicia-se com a chegada dos primeiros colonos e é essencialmente marcada pela existência de dois núcleos urbanos e uma rua principal que os liga. A segunda, é caracterizada pelo surgimento de um conjunto de ruas paralelas (ruas principais e secundárias), e perpendiculares à primeira (travessas), criando uma malha urbana de quarteirões alongados. A terceira, caracteriza-se, por um lado, pela implantação de edifícios significativos (igrejas, conventos e fortalezas) fora do tecido urbano inicial e, por outro, pelo desenvolvimento de malhas urbanas em reticula onde os quarteirões apresentam normalmente uma forma quadrangular.

O objectivo central será apreender as características que poderão contribuir para a formulação de uma, ou mais que uma, forma urbana típica para as cidades insulares atlânticas.

Keywords: São Tomé, Cidades insulares atlânticas, Urbanismo, Cidade portuguesa

Biography note: Arquitecta, Doutorada em Arquitectura e Urbanismo pelo ISCTE-IUL. É Professora Auxiliar no Departamento de Arquitectura e Urbanismo do ISCTE-IUL e investigadora no DINÂMIA-CET, Centro de Estudos sobre a Mudança Socioeconómica e o Território. Tem vários anos de experiência profissional em ateliers de arquitectura, tendo recebido, em 1989, o Prémio Valmor e Municipal de Arquitectura, em co-autoria, pelo conjunto habitacional COOCICLO em Telheiras. Coordenou, recentemente, um Estudo que incide na avaliação e diagnóstico das necessidades de intervenção em edifícios de habitação social em Marvila, para 43 lotes, no âmbito do Programa Viver Marvila – Instituto de Habitação e Reabilitação Urbana. Actualmente lecciona as disciplinas práticas laboratoriais – Arquitectura V e VI no Mestrado Integrado em Arquitectura e coordena, no âmbito de uma Unidade Curricular Optativa, um Estudo sobre a comunidade Tamera, no Alentejo, em parceria com Faculty of Design and Technology da Technische Universitat Darmstadt.

Advertisements