HOMENS ‘HONESTOS’ – MULHERES ‘DIGNAS’: A IMPORTÂNCIA DOS VALORES ENTRE MIGRANTES SÃO-TOMENSES NA GESTÃO DOS ESPAÇOS PÚBLICOS E PRIVADOS EM CONTEXTOS PÓS-COLONIAIS DE EXCLUSÃO SOCIAL

Sónia Ramalho
CRIA-pólo FCSH-UNL
soniaramalho@fcsh.unl.pt

Pesquisas recentes acerca das formas de organização e participação cívica de mulheres imigrantes têm contribuído para questionar a produção de estereótipos baseada em construções culturais, bem como para evidenciar certas estratégias no combate a desigualdades de género, a situações de vulnerabilidade material e de exclusão social, desafiando, de certo modo, a invisibilidade das mulheres na esfera pública.

Esta apresentação tem como objectivo analisar inter-penetrações entre espaços domésticos e espaços públicos, aqui entendidos como contíguos, comparando trajectórias de sociabilização de homens e mulheres de origem são-tomense com conexões, simultaneamente, inter-locais e transnacionais. A reflexão que aqui propomos inscreve-se numa pesquisa exploratória conduzida em 2008/2009 que assentou, parcialmente, numa comparação inter-geracional da participação cívica de alguns grupos de mulheres são-tomenses, residentes num bairro na Área Metropolitana de Lisboa com uma das maiores concentrações populacionais de migrantes de origem são-tomense. O trabalho de terreno e a realização de entrevistas com uma vertente biográfica conduzidos na altura foram retomados no início de 2011, com vista ao aprofundamento da pesquisa, desta vez, com o intuito de identificar algumas diferenças de género.

Em que medida é que a participação no espaço público – protagonizada em espaços associativos, religiosos, políticos, etc – constitui uma plataforma de mobilidade para os migrantes são-tomenses? Que tipo de constrangimentos impõe ao nível da sua agencialidade? Como é que essa participação e certos capitais sociais são manejados face a situações de vulnerabilidade emocional e material? Que efeitos geram em contexto transnacional? Que diferenças encontramos no tipo de actividades, expectativas e valores imbricados nas construções culturais dos papéis de homens e mulheres? Como é que os filhos e filhas destes migrantes se diferenciam, em termos dos seus discursos e práticas, das gerações anteriores?

Keywords: género, participação cívica, transnacionalismo, São Tomé e Príncipe

Biography note: Desde 2007 tem vindo a desenvolver pesquisa sobre migrações de São Tomé e Príncipe, no âmbito de projectos de investigação e da formação académica (FCSH-UNL). Doutoranda em Estudos sobre a Globalização. Mestrado em Migrações, Inter-Etnicidades e Transnacionalismo. Licenciatura em Antropologia.