INVESTIGAÇÃO EM MALÁRIA EM SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE: UMA BASE PARA O CONTROLO

Carla Alexandra Sousa
Unidade de Parasitologia Médica, Instituto de Higiene e Medicina Tropical (IHMT), Universidade Nova de Lisboa (UNL)
Unidade de Parasitologia e Microbiologia Médicas/IHMT/UNL
casousa@ihmt.unl.pt

João Pinto
Unidade de Parasitologia Médica, Instituto de Higiene e Medicina Tropical (IHMT), Universidade Nova de Lisboa (UNL)
Centro de Malária e Outras Doenças Tropicais/IHMT/UNL
jpinto@ihmt.unl.pt

Jacques Derek Charlwood
Centro de Malária e Outras Doenças Tropicais/IHMT/UNL
Liverpool School of Tropical Medicine, UK
dcharlwood@gmail.com

Virgílio Estólio do Rosário
Unidade de Parasitologia Médica, Instituto de Higiene e Medicina Tropical (IHMT), Universidade Nova de Lisboa (UNL)
virgílio.rosario@ihmt.unl.pt
(autor para correspondência)

Entre 1993 e 2005, o Centro de Malária e outras Doenças Tropicais (CMDT) do Instituto de Higiene e Medicina Tropical (IHMT) desenvolveu de forma regular actividades de investigação aplicada ao estudo da malária, a principal causa de morbilidade e mortalidade infantil neste arquipélago. Dos projectos desenvolvidos, destacam-se três: um projecto financiado pelo programa INCO-DC da Comissão Europeia e que envolveu ainda colegas de Espanha, Itália Guiné-Equatorial; e dois projectos com financiamento nacional, pela FCT/MTCES e pelo IPAD/MNE. Este último envolveu uma colaboração com uma equipa de entomologistas da US Navy (EUA) e teve um cariz operacional de preparação de um programa de controlo da malária. O denominador comum a todos estes projectos foi a participação activa do Centro Nacional de Endemias, a instituição Santomense de referência para a malária, no desenvolvimento das actividades de investigação. Destes esforços resultou um aprofundado conhecimento da realidade da malária nas suas mais diversas vertentes. A comprovar este facto, citam-se os 25 artigos científicos publicados em revistas internacionais com arbitragem científica, entre 1996 e 2010. As áreas de investigação destes artigos incluem a epidemiologia e controlo da malária; a bio-ecologia, genética e evolução de populações de mosquitos vectores; a resistência aos fármacos antimaláricos; plantas medicinais e clínica. A par com as actividades de investigação salienta-se ainda o papel do IHMT na formação de quadros superiores de instituições santomenses, nos quais se incluem dois directores do CNE. Os conhecimentos adquiridos ao longo de uma década de investigação serviram de suporte à implementação de um programa de controlo de malária pelo Ministério da Saúde de STP, apoiado pelo governo de Taiwan, a partir de 2004. Este programa tem sido um sucesso e, em 2007, STP era um dos poucos países em que os níveis de malária tinham sido reduzidos a 50%, em linha com os objectivos da OMS. No entanto, começam a surgir os primeiros sinais de alerta sobre uma possível re-emergência da doença no País, à semelhança do que já tinha ocorrido nos anos 1980 após um esforço de erradicação semelhante.

Neste contexto, apresentar-se-á um sumário sobre a evolução da malária em STP e dos principais resultados científicos obtidos pelo nosso grupo no estudo desta endemia, nos últimos 20 anos. Serão ainda discutidos os desafios futuros do país face a sustentabilidade do seu programa de controlo e qual o papel que uma instituição Portuguesa vocacionada para a saúde tropical como o IHMT desempenhou e poderá vir a desempenhar, como organismo de educação, na formação avançada e  no apoio à investigação e monitorização de actividades de controlo.

Agradecimentos: Centro Nacional de Endemias, M Saúde de STP e Prof. Men-Fang Shaio.Dept..  Tropical Medicine, National Yang-Ming University, Taipei, Taiwan.

Keywords: Mosquitos, malária, epidemiologia, Anopheles gambiae s.l., resistência

Biography note:
Carla A. Sousa
– Professora Auxiliar do IHMT, tem desenvolvido a sua actividade de investigação e ensino no âmbito da Entomologia Médica, nomeadamente, na bioecologia e controlo de mosquitos vectores de malária e arboviroses. Neste âmbito integrou a equipa de vários projectos desenvolvidos em S. Tomé e Príncipe.

João Pinto – Desenvolve a sua actividade de investigação e ensino, como Professor Auxiliar do IHMT, no domínio da genética populacional de insectos com importância médica (mosquito e glossinas) e no campo de resistência aos insecticidas. Efectuou a sua tese de doutoramento no âmbito da epidemiologia da malária em S. Tomé e Príncipe e da genética populacional do mosquito vector da malária, Anopheles gambiae.

Derek Charlwood – Investigador da Liverpool School of Tropical Medicine a desenvolver actividade de investigação no Vietname, foi durante 5 anos cientista residente em S. Tomé e Príncipe, no âmbito de vários projectos sobre a malária, no referido arquipélago. A sua mais recente actividade de investigação tem se centrado no estudo do comportamento dos mosquitos vectores de malária, Anopheles gambiae s.l. e Anopheles funestus s.l.

Virgílio E. do Rosário – Coordenador da Rede RIDES Malária da CPLP e foi o IP do projecto de epidemiologia (EU) sobre STPrincipe. Mantém interesse na área das plantas medicinais, malária, e doenças transmitidas por carraças.