ESTUDO DIAGNÓSTICO DAS ONGs EM SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE

Carolina Cravo
carolina_cravo@yahoo.com

Laure Londaitzbehere
FONG-STP
laurelondaitz@yahoo.fr

Sónia Sousa
ACEP
soniamrsousa@gmail.com

O presente estudo é parte integrante do projecto de Reforço da Federação das Organizações Não-Governamentais em São Tomé e Príncipe (FONG-STP) e dos Recursos de Apoio às ONG, realizado em parceria com a ONG portuguesa Associação para a Cooperação Entre os Povos (ACEP) ACEP e co-financiado pelo IPAD. Este estudo, iniciado em 2010 e publicado em livro em 2011, representa um instrumento de consulta e orientação não só para o trabalho desenvolvido pela própria FONG-STP mas sobretudo para os seus membros associados e parceiros internacionais na concretização dos seus objectivos.

A grande parte das ONG que desenvolvem acções em território santomense encontra-se filiada na FONG-STP sendo esta a plataforma representativa das ONG que actuam no território de São Tomé e Príncipe.

Neste contexto, o estudo é realizado com o objectivo de permitir um conhecimento detalhado sobre as principais características das ONG santomenses e das suas actividades, especificamente aquelas filiadas na FONG-STP.

Das 98 ONG filiadas na FONG-STP conseguiu-se o envolvimento de 72 no presente estudo. Para atingir os objectivos estabelecidos, a recolha de dados junto das ONG foi feita através de um questionário, aplicado durante uma entrevista pré-estruturada presencial e individual. As informações recolhidas foram alvo de subsequente análise estatística.

O produto final deste trabalho encontra-se compilado sob a forma de gráficos e textos de análise que oferecem ao leitor uma visão global do trabalho das ONGs no país.

Quanto aos principais resultados, verifica-se que a FONG-STP integra um elevado número de membros, que se caracterizam por uma grande diversidade de áreas de intervenção, de recursos disponíveis, de horários de funcionamento, de actividades e projectos implementados, de necessidades de formação, entre outras diferenças. A maioria das ONG filiadas é nacional, com intervenção em toda a extensão territorial nacional. As principais áreas de intervenção das ONG são a Saúde, a Educação, a Infância, a Cultura e o Saneamento do Meio. Verifica-se que é difícil para as ONG em São Tomé e Príncipe elegerem uma área de intervenção específica, não se assistindo portanto a uma especialização na sua actuação.

A maioria dos recursos humanos disponíveis nas ONG não são profissionalizados, nem assalariados, e estas assentam no trabalho de voluntários com baixas qualificações académicas.

As principais dificuldades apontadas pelas ONG são a falta de recursos financeiros materiais e de recursos humanos capacitados, a dificuldade em encontrar parceiros de acção e em envolver os poderes públicos.

O estudo permitiu a elaboração de algumas recomendações. Assim, pensamos que a variedade e diversidade de compositores que fazem parte da FONG-STP não deve representar uma fraqueza ou fragilidade estrutural mas uma mais-valia para a missão a que esta se propõe: ser uma coligação nacional das ONG intervenientes no território insular de São Tomé e Príncipe, funcionado como um elo de ligação e comunicação entre os seus membros, os parceiros internacionais, entidades governamentais e sociedade civil e contribuindo para a capacitação e fortalecimento das ONG.

Keyword: ONG, sociedade civil, São Tomé e Príncipe

Biography note:
Carolina Cravo –
Licenciada em Psicologia Social e das Organizações. Desenvolveu investigações no campo da Psicologia Social e Ambiental na Universidade de Roma e de Manchester. No âmbito do Programa InovMundus, durante um ano, exerceu funções de assistência técnica à Direcção da Federação das ONGs de São Tomé e Príncipe, onde coordenou projectos de Apoio à Sociedade Civil e Segurança Alimentar e Nutricional. Actualmente trabalha como técnica de apoio ao desenvolvimento numa ONGD portuguesa, coordenando projectos em Moçambique.

Laure Londaitzbehere – Estudou no Instituto de Estudos Políticos de Paris, onde obteve o grau de Mestrado em 2005. Durante 2 anos (2010-2012), foi responsável do Fundo Social de Desenvolvimento, programa de financiamento de micro-projectos de desenvolvimento da Embaixada de França em São Tomé e Príncipe e exerceu funções de Assistente técnica e estratégica da FONG-STP. É especializada nas áreas do apoio as Sociedades Civis e na elaboração, coordenação e gestão de projectos de desenvolvimento.”

Sónia Sousa – Licenciada em Economia pelo Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa. Realizou o estágio na área da Economia Social, tendo participado na elaboração de um estudo sobre formação profissional em contextos de exclusão, no âmbito do projecto Iniciativa Bairros Críticos. Após uma passagem de seis meses por Cabo Verde, ingressou na ACEP ao abrigo do programa InovMundus, no âmbito do qual colaborou no Estudo Diagnóstico das ONG em São Tomé e Príncipe e no Estudo Socioeconómico de Tite e Fulacunda. Actualmente trabalha na área de Contabilidade.

Advertisements