POLÍTICA EXTERNA BRASILEIRA PARA S. TOMÉ E PRÍNCIPE: O TEOR POLÍTICO DA COOPERAÇÃO SUL-SUL (1975-2010)

 

Kamilla Rizzi
Unipampa – Universidade Federal do Pampa
Sant’Ana do Livramento, Brasil
kamillarizzi@unipampa.edu.br

O presente paper busca analisar o teor histórico das relações entre Brasil e São Tomé pressuposto de que a política externa brasileira para STP tem momentos de maior e menor intensidade, devido aos constrangimentos internos e externos. Analisam-se, três períodos com grau de aproximação distinto, sendo a) 1975-1990 – estabelecimento e reconhecimento mútuo; b) 1990-2002 – relativo distanciamento; e c) 2003-2010 – retomada e consolidação dessas relações.

Nesse sentido, o ato contínuo e justificador dessas relações refere-se ao contexto da horizontalidade presente na política externa brasileira, conceituada como cooperação sul-sul, ou seja, uma “política ativa de desenvolvimento” (SOARES LIMA, 2005, pág. 11), para dentro e para fora. Tal conceito, historicamente consolidado na política externa do Brasil, também se agrega à área de influência política na qual o país africano se encontra.

Keywords: Brasil, São Tomé e Príncipe, cooperação sul-sul

Biography note: Professora assistente de Relações Internacionais da Universidade Federal do Pampa, campus Sant’Ana do Livramento/RS. Doutoranda em Ciência Política na UFRGS, Mestre em Relações Internacionais/UFRGS, LIcenciada e Bacharel em História/UFRGS. Pesquisadora associada no Núcleo de Estratégia e Relações Internacionais (NERINT/UFRGS).