O CLUSTER COMO NOVO INSTRUMENTO PARA O DESENVOLVIMENTO: O CASO DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE 

Sandra Silva
Instituto Superior de Economia e Gestão
Universidade Técnica de Lisboa

sandrasilva@ua.pt

Carlos Sangreman
Departamento de Ciências Sociais, Políticas e do Território
Universidade de Aveiro
carlos.sangreman@ua.pt

A política de cooperação entre países doadores e destinatários tem-se alterado significativamente nos últimos anos (OECD, 2011). Apesar das próprias problemáticas terem-se alterado, os actores dos países desenvolvidos em conjunto com parceiros nacionais e internacionais estão a tentar encontrar novos instrumentos e modalidades de cooperação para o desenvolvimento (Atwood, 2011). Portugal não é excepção, e um novo instrumento de política de cooperação foi recentemente (re)descoberto. O conceito de cluster tem sido nas últimas décadas utilizado por decisores políticos enquanto instrumento de promoção da competitividade (Porter, 1990, 1998, 2000).

Sob a estratégia orientadora intitulada “Uma visão estratégica da Cooperação Portuguesa” adoptada em 2005, Portugal tem reconhecido a necessidade de desenvolver esforços para adoptar este instrumento. Este novo instrumento “é composto de um número de projectos que são implementados por diferentes instituições, na mesma área geográfica e dentro de um quadro comum”(IPAD, 2005: 52). Dentro deste cenário, esta comunicação foca o caso Português, como um caso potencial para tentar perceber a potencialidade como inovação e a coerência política dos objectivos e estratégias subjacentes à criação dos clusters de cooperação. Assim, pretende-se dar conta da investigação em curso não só numa perspectiva de (re)examinar os argumentos teóricos para a adopção dos clusters, mas também através de uma análise das actuais práticas da cooperação em São Tomé e Príncipe.

Keywords: cluster, cooperação, São Tomé e Príncipe

Biography note:
Sandra Silva
– Actualmente é doutoranda em Estudos de Desenvolvimento do Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade Técnica de Lisboa e bolseira de investigação do projecto “O cluster como instrumento teórico e prático da Cooperação Internacional para o Desenvolvimento portuguesa: o caso de Moçambique, Timor-leste, São Tomé e Príncipe e Angola” financiado pela FCT.
Os principais interesses de investigação são políticas públicas, clusters de cooperação e Guiné-Bissau.